sábado, 2 de novembro de 2013

"Menina do Campo"







" Menina do campo"

Cheiro forte, esse,
O gosto do feno dos campos,
Com o suave toque da Lavanda.
Cheiro de paixão, acre, gosto a vida,
É minha menina, quem o entrega,
Na quentura de um verão.
Ela Pulsa energia, me resgata, ah...
É o cheiro da pele dela,
Como os fluídos do corpo são.
Quando sinto sou feliz,
Amo esse exímio trago da vida,
Sugado dos aromas do Sol.
Sinto-o na boca de desejo perdida,
Fica aquele gosto a pele .
E sem que ela se faça sentida,
Depois nem a vontade manda,
Apenas sobram corpos abraçados,
Resgatando fluídos nas bocas.
Nada sobra nessa entrego de amor,
A conquisto como uma Deusa,
Até o final estertor.
Nesse reencontro os corpos acabam sentidos,
Abraçados na entrega desse compasso,
A que chamam dança do amor.

Miguel Martins de Menezes



Postar um comentário